CD Kurt Schindler - Recolhas Musicais da Tradição Oral, Miranda do Douro (1932)

Parceiro: Sons da Terra
Modelo: Kurt Schindler - Recolhas Musicais da Tradição ...
Disponibilidade: Em Stock
PVP usual:
10,00€
Preço-base Naturlink:
9,85€
Preço Clube Naturlink:
9,75€
o seu preço: 9,85€
Qt.:
 

Características:

Kurt Schindler, nascido em Berlim (Alemanha) em 17 de Fevereiro de 1882, terá sido, tanto quanto se sabe, o primeiro estrangeiro a efectuar gravações de campo por terras do Planalto Mirandês. Com efeito, foi em 2 de Outubro de 1932 que, na aldeia de Cércio, próxima da cidade de Miranda do Douro, registou em cilindros de alumínio vários laços, toques de gaita de foles e cantigas populares, utilizando um gravador portátil da marca Fairchild.

As recolhas efectuadas por Kurt Schindler seriam publicadas postumamente (faleceu em New York em 16 de Novembro de 1935), mais precisamente em 1941, dispondo-se actualmente de uma edição fac-simile publicada em 1991 pelo Centro de Cultura Tradicional de Salamanca e pelo Hispanic Institute (da Columbia University, sediado em New York), com o título Música y Poesia Popular de España y Portugal. Nesta obra foram incluídas as partituras de alguns laços recolhidos em Cércio e tendo como informantes Francisco Martins (gaita de foles), Manuel Maria Caleijo (caixa de guerra) e Francisco Maria Gonçalves (bombo), assim como alguns cantos, referenciadas como tendo sido recolhidas em Miranda do Douro (sem, todavia, se conhecerem os respectivos informantes).

Estamos na presença de documentos de inestimável valor cultural, linguístico e etnomusicológico e, nesta perspectiva, deixa de ter qualquer importância a deficiente qualidade técnica dos registos. Acresce, por exemplo, que no que se refere aos toques de gaita, se trata do único registo documental disponível sobre a arte do gaiteiro Francisco Martins, o famoso e mítico gaiteiro de Cércio – popularmente conhecido como sendo o Tiu Nieves ou Tiu Cabreiro – amplamente referenciado pelos mais velhos gaiteiros da zona (casos de Manuel Paulo Martins, de Vale de Mira, e de Manuel Francisco Aires, dito Tiu pascoal, de Cércio, entre outros) como tendo sido um dos melhores tocadores do seu tempo. Francisco Martins foi o gaiteiro que foi a Londres, com o grupo de pauliteiros de Cércio, em 1934, por iniciativa do investigador Rodney Gallop e que, segundo as crónicas jornalísticas da época, “era tão velho como a gaita que tocava”.


Reportório:

1. Toques de gaita.
Instrumentistas:
Francisco Martins (Gaita de foles)
Manuel Maria Caleijo (caixa de guerra)
Francisco Maria Gonçalves (bombo).
Espécimes: Bicha, Aninhas à Varanda, Diolinda, Moda de Gaiteiro (1), Ofícios, Alvorada, Passacalhes e Moda de Gaiteiro (2).

2. Lhaços.
Ditos/cantados por informantes não identificados (nalguns casos admitidos terem sido transmitidos por Manuel Maria Caleijo).
Espécimes: Ofícios, Anramada, Lhiebre, O touro de esta vila, Canário, Rosas, Ao lugar de Freixenosa, Caballero, Palombas, Birandum, A la verde retramar, El vilhano de Zamora, Padre António, la Puente de Dinguelundeira.

3. Outras modas.
Ditas/cantadas por informantes não identificados. Espécimes: Habas Verdes, Os reis e Beijai o Menino. Tendo como informante Manuel Maria Caleijo: Os Mandamentos do Vinho.


Ano: Edição em 2006, gravação de Kurt Schindler em 1932, em Cércio

 

Tempo médio de envio: 7 dias

Fazer um comentário

O seu Nome:


O seu Comentário: Obs: Não há suporte para o uso de tags HTML.

Avaliação: Mau           Bom

Escreva o código da imagem: