Enxertias - Manual Técnico para Amadores e Profissionais

Parceiro: Publindústria
Modelo: Enxertias - Manual Técnico para Amadores e Profissionais
Disponibilidade: Em Stock
PVP usual:
22,00€
Preço-base Naturlink:
19,50€
Preço Clube Naturlink:
19,15€
o seu preço: 19,50€
Qt.:
 

Características do Livro:


Sinopse:

No âmbito da multiplicação de plantas o manual técnico de enxertias para amadores e profissionais é um precioso auxiliar para aqueles que se dedicam aos trabalhos de propagação vegetativa por enxertia e também para quem se interessa e/ou frequenta formações sobre este tema.  Esta obra está orientada segundo duas linhas principais:   (1) uma componente teórica de fácil assimilação sobre a organografia da raíz e do caule e a sua fisiologia, a definição e objectivos das enxertias, a identificação dos tecidos vegetais intervenientes, as épocas e as condições a atender na sua realização;   (2) uma componente prática exemplificativa com realce para a utilização dos instrumentos de corte, a preparação dos canivetes novos, o estudo e execução dos principais processos de enxertia, as enxertias de aplicação especializada, a utilização dos elementos de protecção das mesmas e dos enxertos em desenvolvimento, e os processos mais adequados para enxertar algumas espécies vegetais em função do seu desenvolvimento vegetativo.   

 

Índice:  

INTRODUÇÃO  

1.ª PARTE   

I – MORFOLOGIA EXTERNA E ANATOMIA VEGETAL PLANTAS QUE SE PODEM ENXERTAR

1 – Morfologia Externa da Raiz e do Caule
1.1 – A raiz
1.2 – O caule
1.2.1 – Ramificação e prolongamento do caule
1.2.2 – Tipos de ramificação  
2 – Anatomia do Caule
2.1 – Estrutura primária do caule
2.2 – Estrutura secundária do caule
2.3 – Relação da estrutura secundária do caule com as enxertias   

 

II – FISIOLOGIA VEGETAL  
1 – Noções de interesse para as enxertias
2 – A seiva bruta ou ascendente
3 – A seiva elaborada ou descendente
4 – As reservas nutritivas das plantas   

 

2.ª PARTE   

ENXERTIAS  

I – DEFINIÇÃO DE ENXERTIA   

 

II – FINALIDADES DA ENXERTIA   

 

III – CONDIÇÕES A ATENDER NAS ENXERTIAS  
1 – Coincidência dos câmbios e encosto dos tecidos condutores  
2 – Afinidade botânica entre o cavalo e o enxerto  
3 – Reciprocidade de vigor do cavalo e do enxerto  
4 – Boa constituição, pelo menos, de um gomo no enxerto  
5 – Simultaneidade vegetativa do cavalo e do enxerto  
6 – Escolha e conservação dos enxertos  
7 – Épocas indicadas para as enxertias  
8 – Idade dos porta-enxertos  
9 – Utensílios para enxertar; auxiliares de protecção  
9.1 – Principais utensílios indispensáveis à prática das enxertias
9.2 – Materiais auxiliares de protecção  
10 – Localização da enxertia; polaridade  
11 – Cuidados a dispensar às enxertias  
12 – Boa execução da enxertia  
12.1 – Contacto perfeito dos câmbios  
12.2 – Superfícies não em contacto preservadas da acção do tempo  
12.3 – Preparação e manutenção dos utensílios de enxertia  1
2.4 – Pessoal qualificado e treinado  
13 – Condições meteorológicas favoráveis   

 

IV – SOBREENXERTIAS   

 

V – REENXERTIAS   

 

3.ª PARTE   

PRINCIPAIS PROCESSOS DE ENXERTIA   
ENXERTIAS DE APLICAÇÃO ESPECIALIZADA  

 

I – PROCESSOS DE ENXERTIA ESTUDADOS  
1 – Enxertias de encosto e ou aproximação  
1.1 – Enxertia de encosto, lateral, simples; estacas em “Y” e em “X”  
1.2 – Enxertia de encosto, lateral, com lingueta  
1.3 – Enxertia de encosto, lateral, com entalhe de incrustação triangular
1.4 – Enxertia de encosto lateral e terminal, para substituição da copa 
1.5 – Enxertia de aproximação, lateral, para substituição das raízes  
2 – Enxertias de ramo destacado ou de garfo  
2.1 – Enxertia de fenda  
2.2 – Enxertia de coroa ou na coroa  
2.3 – Enxertia de incrustação triangular  
2.4 – Enxertia de fenda inglesa com e sem lingueta  
2.5 – Enxertias laterais de fenda e de encosto  
2.6 – Enxertia de garfo, terminal, à face; simples, dupla, etc.  
2.7 – Enxertia de tronco; enxertia sobre ramo lateral  
3 – Enxertias de gomo destacado  
3.1 – Enxertia de escudo e de borbulha  
3.2 – Enxertia de canudo, flauta ou anel  
3.3 – Enxertia de placa sem lenho ou placa de líber  
3.4 – Enxertia de placa com lenho; “chip-buding” ou escudo-placa  
4 – Enxertias de garfo herbáceo e de lançadeira  
4.1 – Enxertia de garfo herbáceo  
4.2 – Enxertia de lançadeira  
5 – Enxertias de revestimento e de transformação de variedades  
5.1 – Enxertias de revestimento  
5.1.1 – Enxertia de ramos frutíferos  
5.1.2 – Enxertia para guarnecimento de ramos  
5.1.3 – Enxertia para renovação da copa de uma árvore  
5.1.4 – Enxertia de fendas no tronco ou enxertia de ponte  
5.1.5 – Enxertia para substituição de raízes ou de revigoração  
5.1.6 – Enxertia para substituição de ramos danificados enxertia de tronco  
5.2 – Enxertias de transformação de variedades  
5.2.1 – Enxertia de transformação de variedades nas espécies frutícolas  5.2.2 – Enxertia de transformação de variedades na oliveira  
5.2.3 – Enxertia de transformação de variedades na videira  
6 – Sobreenxertias e reenxertias  
6.1 – Sobreenxertias  
6.1.1 – Sobreenxertia de ramo destacado ou de garfo  
6.1.2 – Sobreenxertia de gomo destacado  
6.2 – Reenxertias  
6.2.1 – Reenxertia de ramo destacado ou de garfo  
6.2.2 – Reenxertia de gomo destacado  
6.3 – Respiradouros   

 

II – ENXERTIA DO PINHEIRO MANSO  
1 – Descrição do processo de enxertia herbácea  
2 – Protecção da enxertia  
3 – Protecção complementar da enxertia  
4 – Desramação  
5 – Colheita de garfos  
6 – Enxertia não herbácea do pinheiro manso   

 

III – ENXERTIA DE ROSEIRAS  
1 – Porta-enxertos  
2 – Processos de enxertia  
3 – Protecção das enxertias   

 

IV – ENXERTIA DE PLANTAS HERBÁCEAS – HORTÍCOLAS  
1 – Processo de enxertia de plantas herbáceas  
A – Solanáceas  
B – Cucurbitáceas  
C – Crucíferas  
2 – Protecção das enxertias herbáceas   

 

V – ENXERTIA DE CACTOS  
1 – Origem dos cactos  
2 – Execução das enxertias  
2.1 – Enxertos e porta-enxertos  
2.2 – Descrição dos processos de enxertia  
2.2.1 – Enxertia de encosto horizontal, de faces planas, de topo ou enxertia a direito  
2.2.2 – Enxertias de cunha moldada e de fendas lateral e diametral  
2.2.3 – Enxertia de cunha moldada invertida ou enxertia a cavalo  
2.2.4 – Cuidados posteriores às enxertias de cactos   

GLOSSÁRIO   

BIBLIOGRAFIA

 

Outras:

Autoria: Augusto Silva

Editora: Publindústria

Ano: 2015

Tipo de capa: mole

Número de páginas: 182

Idioma: Português

 

Tempo médio de envio: 5 dias

Fazer um comentário

O seu Nome:


O seu Comentário: Obs: Não há suporte para o uso de tags HTML.

Avaliação: Mau           Bom

Escreva o código da imagem: