Biodiversidade e Carbono Social

Parceiro: Edições Afrontamento
Modelo: Biodiversidade e Carbono Social
Disponibilidade: Em Stock
PVP usual:
13,12€
Preço-base Naturlink:
11,45€
Preço Clube Naturlink:
10,95€
o seu preço: 11,45€
Qt.:
 

Características do Livro:


Sinopse:

Desenvolvimento sustentável, biodiversidade, alterações climáticas, sequestro de carbono, Carbono Social. Palavras aparentemente sem relação, mas que merecem uma abordagem profunda. Biodiversidade e Carbono Social, uma adaptação de uma tese de doutoramento em Biologia apresentada e defendida em 2009, na Universidade de Aveiro, vem preencher parcialmente uma lacuna e uma necessidade.

Durante a Cúpula da Terra, no Rio de Janeiro, em 1992, foram assinados dois importantes instrumentos: a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima e a Convenção sobre Diversidade Biológica. O primeiro trouxe avanços e resultados práticos no que diz respeito à definição de metas e resultados. Este fato deveu-se, principalmente, pelo caráter econômico resguardado à Convenção Quadro, que originou o Protocolo de Kyoto, criando assim um mecanismo de mercado. Entretanto, a Convenção sobre Diversidade Biológica ainda não conseguiu mostrar avanços e a perda da biodiversidade é um dos maiores problemas desta década, com perda de milhares de hectares de florestas e de espécies ainda desconhecidas.

Esta obra aponta que no trio Biodiversidade – Mercado de créditos de carbono – Metodologia do CARBONOSOCIAL – pode estar uma oportunidade de transportar benefícios mensuráveis para o desenvolvimento sustentável de diferentes regiões, com forte enfoque no uso racional da biodiversidade e da sua preservação, levando-se em conta diferentes recursos necessários para um meio de vida sustentável.

O livro apresenta o conceito do CARBONOSOCIAL, que segundo Rezende e Merlin, é o carbono absorvido/reduzido através de ações que viabilizem e melhorem as condições de vida das comunidades envolvidas nos projetos de redução de emissões/ mudanças climáticas, visando o bem-estar e a cidadania, sem degradar a base de recursos. Esse conceito surgiu da necessidade de garantir que os projetos dde redução e mitigação de emissões dos gases causadores do efeito estufa pudessem inserir não só as questões de desenvolvimento sustentável, com também garantir um meio de se medir e dimensionar os ganhos sociais e a sustentabilidade das comunidades envolvidas nos projetos.

Hoje, o conceito do CARBONOSOCIAL está sendo utilizado como um standard do mercado voluntário em projetos de diferentes âmbitos, tais como troca de combustível, energia renovável,  aterros sanitários, entre outros. Biodiversidade e Carbono Social apresenta exemplos reais de estudos de caso no Brasil, mas que não deixam, por isso, de serem exemplos como essa aplicação pode se generalizar.


Sobre os Autores

- Divaldo Rezende é engenheiro agrónomo graduado pela Universidae de Lavras (UFLA) e possui metrado em Políticas Ambientais e Recursos Rurais pela Universidade de Londres, WYE College, e é doutorado em Biologia pela Universidade de Aveiro, Portugal. Co-fundador do Instituto Ecológica, possui vasta experiência em planeamento ambiental, mudanças climáticas, sequestro de carbono e desenvolvimento sustentável. Durante os seus 18 anos de experiência, foi consultor em diversas organizações e governos, como o Banco Mundial, o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), o Ministérios e Minas e Energia, o Ministério da Ciência e Tecnologia e Ministério do Meio Ambiente. Publicou três obras sobre mudanças climáticas e o mercado de carbono. Atualmente, é diretor executivo da CantorCO2e Brasil.

- Stefano Merlin nasceu em Bressanone, Itália e, atualamente, reside em São Paulo. É graduado em Economia e Administração Empresarial pela Universidade Ca´Foscari, de Veneza, e possui pós-graduação emc Gestão Empresarial pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem larga experiência em administração de empresas, desenvolvimento de mercados e negócios sustentáveis, implementação de projetos de mudança climática e de desenvolvimento comunitário. É co-fundador e presidente do Instituto Ecológica e consultor do PNUD na área de energias renováveis no Brasil.
Atualmente é sócio-diretor da Sustainable Carbon, que desenvolve projetos voltados para o mercado voluntário de carbono na América Latina e que hoje é uma das empresas líderes no panorama internacional do mercado de carbono.


Outras:

Editora: Edições Afrontamento

Ano: 2010

Tipo de capa: mole

Número de páginas: 150

Dimensões: 173 x 241 x 11 mm

Idioma: Português


Tempo médio de envio: 5 dias

Fazer um comentário

O seu Nome:


O seu Comentário: Obs: Não há suporte para o uso de tags HTML.

Avaliação: Mau           Bom

Escreva o código da imagem: